A Clínica

Sediada no Jaçanã, na Zona Norte da cidade de São Paulo, a Clínica Vera Cruz iniciou suas atividades no final da década de 50, momento em que a saúde mental ainda estava marcada por uma clínica de reclusão e não havia tratamento substitutivo.

A partir da década de 80, os questionamentos acerca do tratamento proposto começaram a aparecer no Brasil, e cada vez mais pacientes, familiares e equipes se engajaram em movimentos sociais para mudar essa realidade.

Fez-se necessária a criação de novos espaços terapêuticos e de propostas divergentes do modelo estritamente hospitalar, bem como novos modos sociais de estabelecer relações com esses sujeitos.

A Clínica acompanhou esse movimento e há vinte anos possui equipe interdisciplinar e projeto individualizado de tratamento. Há mais de quinze, possui centro de estudos e comissão de ensino que promove estágios e oferece cursos e aprimoramentos para os profissionais da instituição. Conta também com supervisão institucional e faz apresentações periódicas de casos clínicos em parcerias com outras instituições.

Os leitos de internação foram reduzidos drasticamente e os que restaram são para dar continência rápida ao paciente em um momento de crise. A base do tratamento é ambulatorial e de permanência dia.

O projeto atual visa criar espaços abertos em que os usuários dos serviços e as pessoas da comunidade possam circular.

a-clinica01 a-clinica02 a-clinica06

A clínica defende que a prática da equipe não compreende um método completo em si mesmo, uma vez que é o desejo e a demanda de um outro que ali também se coloca. São justamente os vazios que aparecem durante a condução de tratamento que possibilitam ao indivíduo criar meios de lidar com as adversidades e, aos profissionais, novas perspectivas e investimentos. Em suma, cada pessoa que busca tratamento ensina.

As equipes atuam a partir de um projeto de tratamento institucional, mantendo interlocução sistemática entre os profissionais das diferentes unidades.

Cada modalidade de tratamento conta com equipe interdisciplinar composta por assistentes sociais, auxiliares de enfermagem, educadores físicos, enfermeiros, médicos clínicos, nutricionista, oficineiros, profissional de artes cênicas, psicólogos, psiquiatras e terapeutas ocupacionais.

A avaliação inicial é realizada por médico psiquiatra do pronto atendimento que indicará se o paciente será encaminhado para tratamento em ambulatório, permanência dia, observação ou internação.

Em cada uma das modalidades de tratamento há reuniões técnicas semanais e discussões de casos constantemente. Quando uma equipe identifica a necessidade de encaminhamento de um paciente para outra modalidade, a proposta terapêutica é então reelaborada.

a-clinica05 a-clinica03 a-clinica04